terça-feira, 25 de abril de 2017

Os donos humilhados

Olimpio Guarany

Antes de eu começar a escalada do programa Antena 102, no último dia 19, quinta, eis que um jovem que estava no estúdio da rádio disparou  É verdade que os americanos mataram todos os índios de lá e ainda faziam filmes? Com pouco tempo para conversar respondi apenas "sim". Depois do programa conversei com ele e o trouxe para a nossa realidade. Aqui também foi assim. Antes de Cabral atracar na costa da Bahia em 1500, estima-se que a população indígena no Brasil era de 4 a 5 milhões. Dados da Fundação Nacional do Índio (Funai) revelam que existem, atualmente, 460 mil índios residindo em aldeias no Brasil, correspondendo a 0,25% da população brasileira. Outros cerca de 100 mil moram fora das aldeias. Então podemos dizer que temos uma população estimada em cerca de 560 mil índios atualmente.

São mais de 225 etnias ou sociedades indígenas, no Brasil, com 180 línguas e dialetos distintos. Esses grupos estão espalhados em praticamente todo o território nacional, sendo a região Norte a que possui o maior número de índios, em especial o estado do Amazonas  17% do total. Aproximadamente 55 tribos são isoladas, não havendo muitas informações sobre elas.

No dia 19 de abril comemoram em todo Brasil o dia do índio, mas muitos nem sabem o motivo da escolha dessa data. Nas escolas os professores pintam as crianças e ensinam a elas que ser indié usar saia de palha, pena na cabeça, pintar o corpo e girar em roda gritando U, u,u,u,u.

Enquanto isso, nas terras indígenas, também no dia 19 de abril as crianças passam fome, os professores são mortos, as lideranças são caladas, as mulheres são estupradas, as hidrelétricas são iniciadas e concluídas, o meio ambiente provedor é destruído. Entre os adolescentes indígenas a taxa de suicídio asssuta. Em 2008 foram registrados cerca de 20 suicídios a cada 100 mil indígenas, contra 4,9 suicídios da média nacional. Só no estado do Amazonas, em 2008, foram 32,2 suicídios para cada 100 mil indígenas, o que representa uma taxa 6 vezes maior do que a média nacional; no estado do Mato Grosso do Sul a taxa foi de 446 suicídios entre os jovens por cada 100 mil indígenas, dezenas de vezes superior à média nacional.

Indignado por não ter o que comemorar e como tenho nome e sangue de indio aproveito para fazer uma correção nessa terminologia que considero agressiva. “Índio é uma categoria colonial, criada pelo colonizador que, chegando à América, imaginou estivesse aportando nas Índias. Isso para não dizer que “índio é um elemento da tabela periódica, na disciplina de quimica, de número atômico 49. Os índios não existem, quem existe são os Tupinambá, os Guarani, os Xavante, os Yanomami, os Mundurucu e todo mosaico de povos e etnias. Se quisermos generalizar devemos utilizar o termo povos autóctones ou povos originários. Assim deveria ser ensinado na escola, mas não. É preciso seguir o conceito do colonizador.
Escrevo com certa revolta pois, em pleno século 21, o Brasil não criou uma política para atender esses povos de forma digna. Os povos originários são tratados como de segunda categoria, vivem humilhados, lhe destinam migalhas e até hoje em boa parte do país ainda não tem suas terras delimitadas, mesmo todos nós sabendo que eles, verdadeiramente, eram os donos desse torrão.
_________________________________________________________________
 Olimpio Guarany é jornalista, economista e professor universitário

NOTAS QUENTES





Publicidade
Já está veiculando a peça publicitária da Assembléia Legislativa com informativo sobre as novas medidas adotadas pelo atual presidente deputado Kaka Barbosa. Ministério Público e Justiça estão com lupa acompanhando os movimentos naquela Casa. O enxugamento da máquina certamente vai resultar numa boa sobra" de recursos do orçamento.

Ijoma 
Padre Paulo Roberto comemora junto aos seus colaboradores e apoiadores os 7 anos de funcionamento do Ijoma. Pelos registros já são mais de 30 mil pessoas atendidas. Como muito denodo e garra, Padre Paulo e equipe fizeram o instituto crescer e se tornar um verdadeiro empreendedor social de relevância para o povo do Amapá, em especial, os mais carentes.

No TRE 
O juiz Carlos Alberto Canezin é o mais novo membro do Tribunal Regional Eleitoral. Tomou posse essa semana em substituição a Décio Rufino. Ao discursar Cenezin destacou: "Estamos presenciando situações inéditas no país e um novo tempo e novas exigências haverão de vir, sobretudo na classe política. E esta justiça especializada se adequará a este novo tempo.


Descaso 
Um trecho de cerca de 40 km na BR 156, acima do Carnot, está praticamente intrafegável. Um atoleiro sem fim, segundo os que enfrentaram a odisséia de enfrentar a estrada. No fim de semana passado um ônibus da linha levou 48 horas entre Macapá e Oiapoque. As companhias chegaram a suspender as viagens. Com a palavra o DENIT.

Chacota
Na época de adolescente ouvia dizer que quando uma pessoa estava caída, estava debaixo da bunda do sapo. Foi nessa posição que a TV francesa colocou os governantes brasileiros numa reportagem sobre as péssimas condições da BR 156.

——————————————-

DESTAQUE

Dra. Daiz Nunes

Parabéns a Dra. Daiz Nunes, uma das mais categorizadas odontólogas do Brasil. Ela pilota o projeto Dentistas do Bem através da OSCIP Turma do Bem, que reune dentistas voluntários numa belo projeto social no Amapá.  No próximo dia 28, numa parceria com o Ministério Público Estadual e os apoiadores será realizada uma mega triagem para identificar adolescentes de baixa renda, entre 11 e 17 anos, que necessitam de tratamento odontológico. Brilhante iniciativa. Merece o reconhecimento de toda a sociedade amapaense.










segunda-feira, 24 de abril de 2017

Tarifaço 

Desde que anunciaram a proposta de aumentar os preços da passagem, os donos das empresas de ônibus enfrentam reação. Na última quinta feira começou o movimento de protesto de estudantes cuja pressão deve aumentar esta semana quando a Câmara Municipal começa a debater o tema.